segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

JOMAV, FAZES TUDU DE IMPREVISTO, POR ISSO, TUDU SAI MAL.

domingo, 22 de janeiro de 2017

OPINIÃO AAS: CAN 2017 - O fim da utopia


Caiu o pano no que toca à participação da selecção de futebol da Guiné-Bissau no CAN 2017 que se realiza no Gabão. Quanto à prestação do nosso seleccionado...fizeram o que puderam e a mais não eram obrigados. Temos de deixar de lado o amadorismo. Qualquer competição deve ser pormenorizadamente estudada, o calendário seriamente cumprido - e tem de haver disciplina!

Os nossos jogadores foram humilhados, o seu contrato foi desrespeitado mas fizeram tudo para o país marcar presença - a primeira da sua história nesta competição para gente organizada. Por cá é tudo em cima do joelho. É a federação que, à última hora, não se digna em honrar os seus compromissos; é o Estado (o 'governo') que lava as mãos e depois são os jogadores e a equipa técnica que pagam tudo.

Não se justifica tamanha desorganização! Ou temos um Estado e instituições fortes, ou deixemo-nos da mania das grandezas porque provamos uma vez mais que não valemos um tostão furado! Tecnicamente, até temos bons jogadores, que mostraram o seu valor nas três partidas realizadas no Gabão. Não temos é toda uma estrutura à sua volta para a coisa ter sentido e dar certo.

Esta nossa presença no Gabão, para além da experiência adquirida, é outra prova de que um país só faz sentido se for governado na legalidade. A táctica do JOMAV é como o eucalipto: seca tudo à sua volta! E o país vai desmoronando sem que ninguém mexa uma palha.

Mas o que eu queria mesmo era ver o JOMAV convocar de novo este povo cansado (e pagando...) para, amanhã, sair à rua para lhe pedir responsabilidades pelo nosso desaire no Gabão. Tenha juízo, senhor presidente. AAS