terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A dita "imparcialidade".
A atual crise política guineense de tanto prolongado que está, está a fazer a sociedade conhecer novo tipo de "Homem" guineense, quiçá como dissera o meu Presi Emílio Tavares Lima, homens kakris ou até homens camalions.
A dita imparcialidade ou se quisermos a imparcialidade camuflada nesta atual crise tem valido pontos. Temos visto infelizmente pessoas que dizem ser académicos a esconderem na imparcialidade como forma de ganhar pontos, porque o José Mário Vaz (Jomav) afinal está não so atento aos seus apoiantes declarados mas também àqueles que por medo de assumirem uma posição acabam por usar o capote de "imparcialidade", por isso, Jomav sabiamente e por uma questão de gratidão tem-nos recompensado com nomeações para cargos públicos, direçoes gerais, representações diplomáticas e outros.
Irritava-me quando vejo ou leio aquilo que escrevem alguns académicos sobre determinados assuntos políticos desta crise, porque não so não conseguia perceber o que é que realmente ele quis dizer assim como percebia que ele estava a falar no "Dó" enquanto a crise política está em "Lá". Pasmem-se!
Outros que em tempos posicionaram-se pensando eu que estavam a ter aquela posição por convicção, não aguentaram o apertar do cinto em consequência do prolongar da crise e acabaram por assaltar a trincheira. Ah... alguém vai dizer que na política não há inimigos eternos. Tudo bem. Mas fazer política significa relegar para o último plano o CARÁTER?
Por tudo isso, os que hoje defendem a legalidade democrática e que infelizmente são conotados de apoiantes de DSP, fazem-no para esperar amanhã uma recompensa?

Até quando?
Mantenhas!!!
Boas Festas!!!

FB


Nota GP: Tirado abusivamente da Página facebook de Aliu Famora Baldé e sem o seu consentimento