quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

EFEITO JOMAV EM TODOS OS PARTIDOS POLÍTICOS NA GUINÉ-bISSAU: VICTOR MANDINGA, PUDU CADERA NA RUA. NONA PERAL PA IBAI QUEMA PAIGC.


O Partido da Convergência Democrática (PCD), terceira força política no Parlamento da Guiné-Bissau, suspendeu por dois anos e meio o co-fundador e ex-líder Vítor Mandinga, disse hoje Alberto Pereira, do comité permanente do PCD.
Vítor Mandinga, atual ministro do Comercio e Promoção Empresarial no Governo oficialmente não reconhecido pelo seu partido, faz parte de uma lista de oito dirigentes do PCD suspensos por dois anos e meio pelo Conselho de Jurisdição.
Segundo Alberto Pereira, os dirigentes em causa são acusados de desobediência, violação dos estatutos do partido e ainda de falsificação de assinaturas de membros que assistiram a uma reunião do PCD sem que fossem elementos do partido, disse.
Deputado e antigo ministro das Finanças, Vítor Mandinga, está em rota de colisão com o atual líder do PCD, Vicente Fernandes que acusa o Presidente guineense, José Mário Vaz, de tentativa de desestabilizar o seu partido.
Enquanto Vicente Fernandes se posicionou ao lado do PAIGC, partido vencedor das últimas eleições legislativas mas arredado do poder devido às divergências com o chefe do Estado, Vitor Mandinga é um apoiante declarado de José Mário Vaz.
O PCD conta com dois deputados no Parlamento mas ambos figuram na lista dos dirigentes agora sancionados.