terça-feira, 22 de novembro de 2016

Artigo de Opinião tirado da página Facebook de Nelvina Barreto


Décadas de má governação,de corrupção, de crimes de toda a natureza com a certeza da impunidade, destruíram a administração pública,minaram os fundamentos da economia, canibalizaram o sector privado, "domesticaram" a sociedade civil e insistem em tentar dividir os Guineenses por grupo étnico, religião e meio social.

A minha geração foi assim penalizada, tendo uma grande parte ido procurar refúgio noutros países, alguns em instituições internacionais, outros que por cá ficaram preferindo remeter-se ao silêncio, nas suas vidas discretas,sem esperança que "isto" mude. Mas "isto"
não é uma fatalidade do destino, um País constrói-se dia a dia, cada um fazendo o melhor que sabe e pode a seu nível, sem abdicar do direitos que nos assistem de continuamente fiscalizar a accao daqueles que em nosso nome governam.
As contestações que hoje testemunhamos são a evidência de que a geração actual não está disposta a deixar-se acantonar pelo grupo de malfeitores de todos os bordos político/partidários que sequestraram a nossa terra, mantendo em cativeiro a nossa esperança. Esta massa juvenil, esclarecida, emancipada,ambiciosa e disposta a lutar pelo Pais que é de todos nós, fez renascer em mim um grande alento! Não deixem que façam a vossa geração o que fizeram as anteriores! Marchem, manifestem-se, indignem-se, questionem e revoltem-se face aos abusos e as tentativas de amordaçar e quebrar a emergência de um novo tipo de cidadão guineense. Aquele que não aceita passivamente os desmandos e a violação dos seus direitos fundamentais( direito a reunião, expressão e manifestação, por ex.) que exige a sua realização enquanto ser humano,através de uma escola qualidade, de bons cuidados de saúde, de emprego e finalmente, de prosperidade e bem-estar.
Um País com esta qualidade de juventude, tem grandes chances de futuro!