segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O PRESIDENTE DE ACORDOS


ACORDO DE NOVA IORQUE/DE ONU
ACORDO DE BISSAU
ACORDO DE DAKAR
ACORDO DE BANJUL
ACORDO DE CONACRY
ACORDO PARA ACORDAR O ACORDO DE NOVA IORQUE/DE ONU
ACORDO PARA ACORDAR O ACORDO DE BISSAU
ACORDO PARA ACORDAR O ACORDO DE DAKAR
ACORDO PARA ACORDAR O ACORDO DE BANJUL
ACORDO PARA ACORDAR O ACORDO DE CONACRY
ACORDO PARA ACORDAR A ALINEA A) DE ACORDO DE NOVA IORQUE/DE ONU
ACORDO PARA ACORDAR O PRIMEIRO PONTO DE ACORDO DE BISSAU
ACORDO PARA ACORDAR O SEGUNDO PONTO DE ACORDO DE DAKAR
ACORDO PARA ACORDAR O TERCEIRO PONTO DE ACORDO DE BANJUL
ACORDO PARA ACORDAR O PRIMEIRO PONTO DE ACORDO DE CONACRY
ACORDO PARA IR ACORDAR OS ACORDOS
ACORDO PARA FORMAR GOVERNOS
ACORDO PARA DERRUBAR GOVERNOS
ACORDO PARA NOMEAR MINISTROS DE INTERIOR
ACORDO PARA NOMEAR MINISTROS DE NEGÓCIOS ESTRANGEIRO
ACORDO PARA NOMEAR MINISTROS DE FINANÇAS
ACORDO PARA IR PARTICIPAR NAS CIMEIRAS E CONFERÊNCIAS
ACORDO PARA A DATA DE RECEBER VISITAS DOS DIGNITÁRIOS E DIPLOMATAS ESTRANGEIROS
ACORDO PARA ANULAR TODOS OS ACORDOS SUPRACITADOS E FAZER NOVOS ACORDOS
ALGUÉM AINDA DUVIDA NO EXCESSO DA INCOMPETÊNCIA DESTE PRESIDENTE ???
FONTE: Radio Jovem/Braima Darame (4 de Novembro de 2016)
Missão da CEDEAO a Bissau é oportunidade para progressos na solução da crise - UE
A União Europeia (UE) considerou hoje que a missão da Comunidade Económica de Desenvolvimento dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) a Bissau é uma oportunidade para “haver progressos decisivos” na resolução da crise na Guiné-Bissau.
A missão da CEDEAO “traz uma oportunidade para haver progressos decisivos na solução da crise persistente na Guiné-Bissau”, segundo um comunicado do Serviço de Ação Externa da UE.
“A atual situação política põe em risco a estabilidade e o desenvolvimento da Guiné-Bissau”, refere o comunicado que apela à “rápida nomeação de um primeiro-ministro consensual que todos os atores políticos chave possam aceitar”.
Bruxelas salienta ainda que novos atrasos na aplicação dos acordos “são inaceitáveis”.
A Presidente da Libéria, Ellen Johnson, lidera uma comitiva da CEDEAO que se desloca a Bissau no sábado com o objetivo de resolver a crise política no país.
"No âmbito das negociações com vista a ultrapassar a crise político-institucional, e na sequência dos acordos de Bissau e de Conacri, a Presidente da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da CEDEAO e Presidente da Libéria" chega a Bissau no sábado pelas 07:30, segundo a organização.
Uma outra comitiva da CEDEAO juntou os líderes políticos da Guiné-Bissau em setembro, altura em que foi firmado o acordo de Bissau, que prevê a nomeação de um governo inclusivo que dure até final da legislatura.
A 14 de outubro foi assinado o acordo de Conacri, que prevê a escolha de um primeiro-ministro de consenso entre os partidos e que seja da confiança do Presidente.
Apesar da negociação sobre os três nomes que propôs, o chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, ainda não nomeou um novo chefe de governo.
O general Umaro Sissoko, o diretor do banco central, João Fadia, e um quadro do PAIGC, Augusto Olivais, são os três nomes em cima da mesa - sendo este último defendido pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), partido que venceu as eleições de 2014.