terça-feira, 8 de novembro de 2016

Não há dinheiro para Djurtus preparar a participação no CAN2017


A crise política vigente na Guiné-Bissau afecta a preparação da participação da selecção nacional de futebol na fase final do CAN, Gabão2017, afirma um alto dirigente da Federação de Futebol.
Celestino Goncalves Tinex revelou que, até ao momento, a Federação de Futebol não recebeu um tostão do Governo para organizar a participação da selecção nacional e para os jogos amigáveis antes de Janeiro.
O Canadá desistiu do jogo amigável com a Guiné-Bissau. A federação contactou de imediato duas equipas portuguesas, Belenenses e Sporting de Braga, para cumprir o calendário da FIFA. Mas até agora nem sequer 1 franco CFA foi disponibilizado para os jogos desta semana em Lisboa.
Celestino Goncalves explica que todas as equipas apuradas para o CAN já têm emissários no Gabão a preparar o terreno, com excepção da Guiné-Bissau por falta de verbas.
Em entrevista à Rádio Jovem, o primeiro vice-presidente da Federação disse que até ao momento a organização tem funcionado com dinheiro de terceiros para garantir que tudo esteja bem antes da partida para o palco do jogo.
A seleção guineense vai integrar o Grupo A do CAN-2017, juntamente com Gabão, Camarões e Burkina Faso.
A Guiné-Bissau estreia-se no CAN-2017 no dia 14 de janeiro, frente ao Gabão, país anfitrião da prova.