quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Mantenhas para os meus conterrâneos de Guinepuro; lutadores incansáveis para o despertar da consciência anti-dictatorial em curso na Guiné-Bissau, minha terra querida e amada. Esta é a minha segunda participação e contribuição neste forum sócio-digital, a primeira foi aquando da réplica que dei ao etnocentrista e personificador Umaro Djau; porém com esta minha segunda participação, vim pura e simplesmente narrar uma história que "aconteceu" com o ditador de Calequisse, o JOMAV ou melhor JIMENFOU, o cleptomaniaco radical e fundamentalista djambacus de Calequisse.

Se acharem que não é, ou será, ofensivo para a vossa linha editorial, a sua publicação ficaria ao vosso critério, e isso com muito respeito acatarei a vossa decisão.